quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Site Cpers Sindicato - 1/3 de Férias: A verdade sobre os fatos

O Comando de Greve do CPERS/Sindicato vem esclarecer à categoria a tentativa do Governo Yeda de descumprir, mais uma vez, decisão judicial favorável ao Magistértio.A ação coletiva cobrando o pagamento de 1/3 de férias sobre 60 dias foi ganha pelo Sindicato, com retroatividade a 2001. Em relação a 2008, o governo já pagou. Portanto, o que o governo deveria fazer, mediante a decisão judicial, era pagar imediatamente os atrasados de 2001 a 2007, com juros e correção monetária.

Através de proposta de acordo apresentada ao Judiciário e ao CPERS em julho deste ano, o governo fez sua primeira tentativa de descumprir a decisão judicial. Nesta proposta, o governo se negou a fazer o levantamento individual dos professores com este direito. Além disso, não queria pagar juros e correção monetária, jogando as custas judiciais, de sua responsabilidade já que o Estado perdeu a ação, para os beneficiários.

Todos estes motivos levaram o CPERS/Sindicato, através de seu Conselho Geral, a não aceitar a proposta de acordo.

Depois de cortar os dias parados dos educadores em greve, o governo tenta ludibriar a opinião pública e aos professores. Apresenta uma Proposta Pública de Acordo que é uma verdadeira armadilha, pois reedita a proposta anterior.
ATENÇÃO:O governo tenta responsabilizar, individualmente, os professores a comprovarem seu direito conquistado. Obriga-os, ainda, a desistir de ação judicial e a assumir os custos advocatícios, que a justiça mandou o Estado pagar.

Esta é mais uma manobra oportunista do Governo na tentativa de enfraquecer o Sindicato, que ousou enfrentá-lo com uma greve pelas reivindicações da categoria, obtendo amplo apoio social.
Não abra mão do seu direito!Cumpra-se a decisão judicial!
Assembléia Geral - 28 de novembro - 13h30 - Gigantinho

2 comentários:

cxmaniac disse...

NEM O JUDICIÁRIO ELA OBEDECE? ISSO PODE????

Marta Regina disse...

Mais uma vez Mariza Abreu querendo brincar com a nossa inteligência. Não posso acreditar que teremos que enfrentar mais uma batalha, mas se estivermos unidos iremos vencer e derrotar esse tipo de governo ditador e autoritário que pensa que somos ignorantes ao ponto de assinar contra nossos próprios direitos.